7 de dezembro de 2015

José Flávio dos Santos: triste despedida, alegres lembranças

Uma vida de dedicação marcou a trajetória de um dos pilares da ISI Engenharia

A história da ISI Engenharia sempre foi construída através do trabalho e da competência dos homens e mulheres que a compõem. Todos os colaboradores são peças chaves na engrenagem da empresa, por isso mesmo que, a cada despedida, a força e união de toda equipe são tão importantes. Neste novembro, com bastante pesar, demos adeus ao nosso querido José Flávio dos Santos – Zé Flávio, como era conhecido por muitos, fundador e vice-presidente da ISI Engenharia.

Paulista natural de Caçapava, nascido em 1953, José Flávio foi um homem de natureza simples, integro, dedicado e familiar, focado no bem estar de todos ao seu redor. Ainda criança, ajudava no cuidado dos irmãos (três irmãos e três irmãs), e sempre foi visto pela família como alguém muito dedicado ao trabalho. Era casado com Vicentina Faria Santos, e deixou cinco netos, pelos quais era apaixonado, duas filhas, Flaviana e Flávia dos Santos, e um filho, Flávio Augusto dos Santos, ou Guto, como é conhecido – sendo, os dois últimos, parte da equipe da ISI. “Como pai, ele sempre foi duro e exigente quanto ao nosso esforço e dedicação, ao mesmo tempo que era acolhedor e protetor. Era um ponto de união entre a gente, sempre cuidando de todos”, relembra seu filho.

Com a família no casamento de um dos filhos

Essas características destacadas por quem conheceu Zé Flávio na intimidade, também estiveram presentes em sua carreira e relacionamentos profissionais. Formou-se engenheiro químico, em 1979, pela Faenquil – Faculdade de Engenharia Química de Lorena –, três anos após iniciar sua carreira na Petrobras, onde começou como Inspetor de Equipamentos, na área de terminais. “Nos conhecemos no trabalho, dentro da Petrobras, por volta da década de 1980. Fui chefe dele, inicialmente, na divisão de montagem, e nossa primeira obra juntos foi a montagem da plataforma Cherne II. Desde então foram muitas outras. Zé Flávio agregava muito às equipes e se mostrava sempre motivado, o que contagiava a todos. Ele tinha o dom de fazer com que os ambientes de trabalho ficassem agradáveis, além de ser muito determinado, sempre dando o seu jeito para resolver qualquer trabalho”, conta José Carlos Rafael, amigo e sócio de José Flávio na ISI Engenharia.

Confraternização da ISI Engenharia

Confraternização da ISI Engenharia

“Como pai, ele sempre foi duro e exigente quanto ao nosso esforço e dedicação, ao mesmo tempo que era acolhedor e protetor. Era um ponto de união entre a gente, sempre cuidando de todos”

Flavio Augusto dos Santos, filho

“Ele tinha o dom de fazer com que os ambientes de trabalho ficassem agradáveis, além de ser muito determinado, sempre dando o seu jeito para resolver qualquer trabalho”,

José Carlos Rafael, presidente da ISI Engenharia

 

Espírito agregador

 Outra que recorda bem da determinação e bom humor do Zé Flávio, e vem acompanhando o amigo desde a Petrobras, é Maria Auxiliadora A. dos Santos, conhecida por todos como Dora, hoje Administrativa Financeira da ISI. “Nos conhecemos trabalhando juntos, em 1978, e foi crescendo a amizade que durou até hoje. Passar os dias nas obras com ele era um prazer, por mais pesado que fosse o serviço. O Zé Flávio se entregava de corpo e alma ao trabalho e estava sempre alegre, de bem com a vida. Sempre muito íntegro, ativo e brincalhão. Adorava pregar peças nos companheiros só para ver o povo dar risada, ao mesmo tempo que era muito exigente e sabia alcançar o objetivo do trabalho, nem que tivesse, ele mesmo, que pegar uma máquina para terminar alguma coisa”.

Jantar em Salvador

Jantar em Salvador

Dora lembra com carinho do amigo da ISI, “dá saudade de ver o quanto ele gostava do grupo e se preocupava com todos. Nunca o vi desmerecendo uma opinião contrária, por mais quente que fosse uma discussão, havia sempre respeito e, no fim, entendimento. Vou me lembrar muito dele, somos os dois palmeirenses e isso era sempre motivo de risada e alegria. Fará uma falta enorme”.

“Dá saudade de ver o quanto ele gostava do grupo e se preocupava com todos. Nunca o vi desmerecendo uma opinião contrária, por mais quente que fosse uma discussão, havia sempre respeito e, no fim, entendimento.”

Maria Auxiliadora Antunes dos Santos (Dora)

Gostava de envolver as pessoas, adorava fazer brincadeiras, era gozador, um provocador de raciocínio. Fazia as pessoas pensarem, criava situações de forma despojada”

Joy Willians

 

Era uma pessoa humilde, paciente, que tinha traquejo e estava sempre disposto a ajudar a resolver qualquer problema”

Márcio Heli

 

“O Zé era uma pessoa muito simples, de boa conversa, mais preocupado com os outros do que consigo mesmo”

Marco André

Segundo Márcio Heli, amigo e gerente de contratos da ISI, José Flávio era uma pessoa muito querida, mas exigente na medida certa. “Todos tinham nele um grande líder, não só um chefe, e se sentiam motivadas trabalhando em sua equipe. Ele tinha o poder da negociação, de conversar, avaliar e não tomar decisão precipitada. São virtudes que valem a pena destacar. Era uma pessoa humilde, paciente, que tinha traquejo e estava sempre disposto a ajudar a resolver qualquer problema”, relembra. Opinião compartilhada por todos que conviveram com José Flávio: “Foi uma pena. Uma grande perda”, afirma o gerente de contratos Marco André. Os dois se conheceram quando Marco entrou na ISI, em 2008, e estreitaram a relação desde então. “Ficamos amigos, além de parceiros no trabalho. O Zé era uma pessoa muito simples, de boa conversa, mais preocupado com os outros do que consigo mesmo. Era uma referência, que todos tiravam dúvidas. Tinha a perspicácia, ao meu ver, como sua maior característica, uma excelente capacidade de análise e decisão”, comenta Marco André.

Momento de descontração  netos no Sitio

Momento de descontração netos no Sitio

Amizade que constrói

 A própria ISI floresceu por conta dessas relações de amizade. Fundada por Rafael, em meados de 1996, alguns anos após ter se aposentado da Petrobras, a ISI foi destino certo para José Flávio quando também chegou sua aposentadoria. “Tínhamos uma excelente convivência e, juntos, desenvolvemos o ControlTub na Petrobras, com colaboração de algumas outras pessoas da empresa, mas sendo nossa toda criação logística do programa. No ano seguinte a fundação da ISI, chamei-o para se juntar a mim. Nada mais natural que fosse ele ao meu lado e, digo, o Zé veio e agregou muito. Amadurecemos juntos a empresa e o programa, fora os outros criados para outras atividades. Conseguimos vir modernizando e agregando valor ao sistema e ao serviço que prestamos”, explica. As competências de cada um foram surgindo naturalmente, de acordo com as necessidades e amadurecimento da empresa. Enquanto um foi assumindo mais o administrativo e a gestão, o outro foi se responsabilizando pela parte técnica, com a implantação e o operacional dos serviços. “Nisso, dentre muitas outras coisas, ele era excelente. Colocar as coisas para funcionar era com ele mesmo”, lembra Rafael.

Ponto também destacado por outros amigos e colegas de trabalho do José Flávio. “O Zé tinha uma simplicidade e objetividade próprias, no que diz respeito de ir direto ao ponto. Não era nem um pouco prolixo, dizia logo o que queria dizer, além de ser um integrador natural das pessoas. Não só porque queria um resultado, mas por que realmente se importava. Gostava de envolver as pessoas, adorava fazer brincadeiras, era gozador, um provocador de raciocínio. Fazia as pessoas pensarem, criava situações de forma despojada, que faziam as pessoas tratarem naturalmente determinados temas”, conta o gerente de contratos Joy Willians, outro amigo que ficou.

 

Parceria sólida

De acordo com Rafael, a sinergia que tinham era tanta que, às vezes, nem mesmo eles acreditavam. “Quando íamos juntos resolver um problema, ou fechar um novo contrato, sempre dava certo. Ele costumava brincar que, com a gente, ‘dois mais dois não são quatro, nós dois juntos somos cinco’. O Zé pegava os contratos e movimentava, fazia acontecer, tinha um potencial de trabalho muito grande. Ele sempre tinha boas ideias e, por mais que nossas áreas fossem se diferenciando com o tempo, sempre prezávamos ouvir a opinião um do outro”, diz.

Os sócios fundadores da ISI Engenharia

Os sócios fundadores da ISI Engenharia

A amizade da dupla se refletiu na boa fase de crescimento que a ISI viveu a partir de 2005. Rafael recorda uma solução estratégica que José Flávio bolou nessa fase: “Até 2004 tínhamos todos os nossos técnicos alocados nas obras, mas o número de contratos começou a crescer e começamos a ter o pessoal mais antigo em certos contratos e o pessoal mais novo em outros, o que poderia gerar uma diferença na qualidade do atendimento. Um dia ele chegou para mim e disse, ‘ao invés de tirarmos notas excelentes com alguns clientes, e baixas com outros, vamos tirar uma média boa com todos. Peguemos o pessoal mais experiente e coloquemos todos no Rio, dando suporte às equipes em campo’. Assim surgiu o GAT e a ideia foi a mais correta, pois esse pessoal ficou responsável em acompanhar as bases das obras, e passou a ser possível implantar os sistemas, monitorar tudo, treinar o pessoal, acompanhando todos os passos e mantendo um padrão de qualidade. Isso é uma excelente visão de sua gestão estratégica. Não perdi um sócio, perdi um grande amigo. O conheço há 35 anos, é essa amizade que fez que sempre superássemos as diferenças, e fez que nossa sociedade perdurasse por tanto tempo”.

 

Pensando no futuro

 É certo que José Flávio deixará saudade em todos da ISI, não só pelo seu papel profissional, mas também pelo ser humano generoso que foi. Sua lembrança e ideias continuarão vivas no futuro da ISI, conforme afirma todo corpo gerencial. “A presença dele fará muita falta, mas temos obrigação de fazer prevalecer todo esse empenho que o Zé demostrava. Cabe a cada um de nós manter vivas as ideias fomentadas, ou incentivadas pelo Zé, para que possamos torná-las concretas, para conseguirmos implementar as mudanças necessárias para o futuro da ISI Engenharia”, destaca Joy. Marco André também concorda: “A conjuntura pela qual o Brasil passa fez com que todos repensassem internamente o futuro da empresa. O Zé Flávio tinha essa preocupação com a necessidade de buscarmos novos negócios e temos que perpetuar esse pensamento, para dar sempre perenidade à empresa”.

Como bem diz seu filho Guto: “se ele estivesse aqui ainda, iria exigir que descemos o passo adiante. A saudade é positiva, é boa, mas temos que continuar andando, seguir em frente”.

José Flávio dos Santos ajudou a construir a história da ISI Engenharia, acrescentando positivamente com suas ideias e atitudes à empresa e a todos que a compõem. Deixou uma bela trajetória de vida e muitos ensinamentos para quem fica, por isso que nós, amigos, colegas e todos os parceiros colaboradores desta família, prestamos nestas palavras, com muito carinho, nossa homenagem à sua memória.

ISI (Jul_2009) - reunião09

 

4 Comentários para “José Flávio dos Santos: triste despedida, alegres lembranças”

TESTE DE VISUALIZAÇÃO

  1. Tales Pinho disse:

    Meu patrão! Fica com Deus onde estiver. Muita luz, muita paz e, olhe por nós aqui e nos guie pelos melhores caminhos.
    Tive a honra de ter lhe conhecido. Deixo aqui meu agradecimento por tudo que fez por mim e por tudo que ensinou.
    Levarei sempre comigo lembranças e lições inestimáveis, como exemplo em tudo, como meu patrão, profissional e como pessoa.
    Um abraço que não pude dar, Zé. …Até um dia.

  2. José Guglielmo disse:

    É realmente em nossa vida profissional encontramos pessoas assim que sempre serão lembradas durante toda a vida pelo profissionalismo e pela simplicidade.
    José Guglielmo – Projetista industrial

  3. Paulo Nascimento disse:

    Olá Rafael e sua valorosa tropa da ISI Engenharia. Condolências pela perda irreparável do Grande Zé Flávio. Nosso última parceria foi há muitos anos em uma parada na Refinaria de Araucária mas a lembrança está vivíssima, em boa parte pela garra e competência com que ele atacava os problemas e seu inesgotável estoque de sorte que sempre levava a um happy-end.
    Longa vida à boa herança do Grande Zé Flávio.
    Paulo Nascimento – SANTOS-SP.

  4. André Andrade de Paula disse:

    Como colaborador tive algumas oportunidades de convívio com o Zé no início dos treinamentos em Niterói e nos momentos que podíamos bater papo entre um cigarrinho e um café ele sempre foi muito agradável, educado e de bom humor. Realmente era uma pessoa formidável.

Deixe um comentário

Mais notícias

Notícias relacionadas

TAG Cloud



 
MAPA DO SITE

 
Copyright © ISI Engenharia 2017

 

Desenvolvido por