23 de dezembro de 2011

Grupo Fischer implanta unidade industrial “Aliança Offshore” no RJ

Publicado em

A Aliança Offshore, nova empresa do Grupo Fischer, inaugura amanhã (15) sua instalação em Guaxindiba, no município de São Gonçalo (RJ). A companhia, uma subsidiária da Companhia Brasileira de Offshore (CBO) e da Aliança Indústria Naval e Empresa de Navegação (Estaleiro Aliança), dedicará uma área de 50 mil metros quadrados ao processamento de aço, tubulação, acessórios de casco e montagem de sub-blocos para embarcações de apoio marítimo.

Financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM) do Ministério dos Transportes, a construção da Aliança Offshore pretende atender a demanda criada com os investimentos da Petrobras e outras petroleiras para aumentar a produção brasileira de petróleo e gás em alto mar.

Além de atender ao Estaleiro Aliança, a nova empresa terá capacidade para prestar serviços para terceiros em qualquer obra de caldeiraria pesada, para outros estaleiros e para as obras de implantação das plantas industriais de processo do Comperj, em construção em Itaboraí, município vizinho a São Gonçalo.

Segundo o Presidente da CBO, do Estaleiro Aliança e da Aliança Offshore, Luiz Maurício Portela, “a continuidade do plano de crescimento das empresas, aprovado pelos acionistas do Grupo Fischer, está estruturada em quatro pilares: a expansão da frota da CBO, a implantação da Aliança Offshore, no Município de São Gonçalo, a expansão do Estaleiro Aliança com aumento da sua capacidade de produção, e a implantação da unidade de reparos navais”.

Impacto Ambiental

De acordo com o gerente de operações da Aliança Offshore, engenheiro naval Carlos Alberto Machado, a Aliança Offshore é uma indústria de caldeiraria pesada com produção limpa, sem emissões atmosféricas na sua linha de produção. A estrutura possui unidade própria de tratamento de efluentes industriais e de esgotos e, além de ter captação própria de água, adota o sistema de reuso e captação de água da chuva para irrigação dos jardins e uso sanitário.

É realizada a coleta seletiva e os resíduos recicláveis são enviados a uma ONG. Os resíduos não recicláveis, de pequena monta, são descartados através de empresas licenciadas. O sistema de aquecimento de água para uso dos funcionários é através de placas de captação de energia solar instalada na laje superior do prédio de administração.

Características industriais:

• Galpão de produção com 15.000 metros quadrados, que vai abrigar as linhas de tratamento e pintura de chapas de aço, corte, dobra de chapas e perfilados, soldagem e sub-montagem de blocos, corte e dobra de tubulações, montagem de acessórios de casco;
• Galpão de almoxarifado próprio e equipamentos;
• Central de utilidades com oficina mecânica para manutenção, central de ar comprimido e central de gases para solda e corte;
• Prédio administrativo da unidade, com vestiário, refeitório e enfermaria no primeiro andar e as salas de administração nos andares superiores;
• Pátio de manobras de 12.000 metros quadrados e dos acessos ao redor do galpão industrial principal para operação de carretas de até 45 toneladas.
• Dois Centros de Treinamento para jovens aprendizes – Projeto Pescar.

IR PARA O SITE DE ORIGEM DA NOTÍCIA

Deixe um comentário

Mais notícias