Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira

Colaboração enviada por Lucila Motta Gomes

Ponte estaiada é um tipo de ponte suspensa por cabos constituída de um ou mais mastros, de onde partem cabos de sustentação para os tabuleiros da ponte.
A ponte estaiada costuma ser a solução intermediária ideal entre uma ponte fixa e uma ponte pênsil em casos onde uma ponte fixa iria requerer uma estrutura de suporte muito maior, enquanto uma pênsil necessitaria maior elaboração de cabos.

A Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira é uma ponte estaiada localizada na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, Brasil. A ponte, que faz parte do Complexo Viário Real Parque, é formada por duas pistas estaiadas em curvas independentes de 60º que cruzam o rio Pinheiros, no bairro do Brooklin, sendo a única ponte estaiada do mundo com duas pistas em curva conectadas a um mesmo mastro. Foi inaugurada em 10 de maio de 2008, após três anos de construção, e hoje é considerada uma das principais atrações turísticas da cidade.

Tipos de pontes estaiadas

Existem dois tipos básicos de pontes estaiadas: No tipo “harpa”, os cabos correm paralelos, ou quase, a partir do mastro, de modo que a altura de fixação do cabo ao mastro é proporcional à distância entre o mastro e o ponto de fixação deste cabo ao tabuleiro. No tipo “leque”, os cabos conectam-se ou passam pelo topo do mastro.
obra da Ponte Estaiada

Obras da Ponte Estaiada

Ponte Otávio Frias de Oliveira – São Paulo

A Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira é uma ponte estaiada localizada na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, Brasil. A ponte, que faz parte do Complexo Viário Real Parque, é formada por duas pistas estaiadas em curvas independentes de 60º que cruzam o rio Pinheiros, no bairro do Brooklin, sendo a única ponte estaiada do mundo com duas pistas em curva conectadas a um mesmo mastro. Foi inaugurada em 10 de maio de 2008, após três anos de construção, e hoje é considerada uma das principais atrações turísticas da cidade.
A obra ficou a cargo da empresa Construtora OAS, envolvendo 420 funcionários, trabalhando em dois turnos. O projeto é de autoria de Catão Francisco Ribeiro, tendo como arquiteto João Valente. Edward Zeppo Boretto é o engenheiro responsável e Norberto Duran, o gerente de obras, ambos pertencentes aos quadros da Empresa Municipal de Urbanismo (EMURB).
Foi previsto um custo de aproximadamente R$ 184 milhões para a construção do complexo em si, e mais R$ 40 milhões para a sinalização viária, drenagem e pavimentação. A obra foi viabilizada através da venda de CEPACs (Certificados de Adicional de Construção) das regiões próximas.

Vista noturna

No dia 8 de abril de 2007, o operário Luiz de Araújo Sousa, de 22 anos, morreu após cair de uma das pistas.
Erguidas em concreto armado protendido, as alças foram moldadas por meio de formas deslizantes. A obra consumiu aproximadamente 58.700 metros cúbicos de concreto, o equivalente à carga de 7.340 caminhões betoneiras ou ao volume utilizado na construção das pontes do Cebolão.

Entre os desafios técnicos encontrados no projeto, há a complexidade da distribuição de cargas entre os muitos estais e as seções das pistas de geometria curva. Nos elementos de fixação de cada um dos estais foram instaladas células de carga, capazes de monitorar as forças aplicadas aos mesmos, permitindo ajustar as tensões mecânicas de montagem, equilibrando a ponte adequadamente e não sobrecarregando os cabos durante a construção. As pontes foram projetadas para suportar ventos de até 250 quilômetros por hora.

As obras do Complexo Viário Real Parque foram iniciadas na gestão municipal de Marta Suplicy, em 2003, e retomadas na gestão de José Serra em 2005 após mudanças no projeto (de duas para uma torre) que resultaram na economia de 30 milhões de reais. A inauguração da ponte foi realizada no dia 10 de maio de 2008 pelo prefeito Gilberto Kassab, após adiamento de cerca de dois meses.

No total, cada sentido da ponte tem 290 metros de comprimento. Sob o mastro em “X”, que suporta os estais, se cruzam três vias em níveis diferentes: as duas pistas suspensas da ponte e a via marginal de manutenção, no nível do solo. Além disso, uma linha de transmissão elétrica percorre a margem do rio pelo subterrâneo da via de manutenção e o Córrego Água Espraida deságua no rio Pinheiros passando por entre os mastros. A torre tem 138 metros de altura, o equivalente a um prédio de 46 andares. Escadas de aço internas à torre, com patamares a cada 6 metros, dão acesso ao mastro para serviços de manutenção.

A Ponte Octávio Frias de Oliveira é a única ponte estaiada no mundo com duas pistas em curva conectadas a um mesmo mastro. A Ponte Katsushika, (inaugurada em 1986) em Tóquio, por exemplo, tem traçado curvo, mas com uma única pista. A forma da estrutura não decorre de razões arquitetônicas e sim de uma demanda estrutural e das restrições geométricas do entorno.

Estais:

Estais são elementos estruturais flexíveis, formados por feixes de cabos de aço. O termo ponte estaiada se refere ao tipo de estrutura, que utiliza estais diretamente conectados a um mastro para sustentar as pistas. Neste caso, 144 estais mantêm suspensos dois trechos de 900 metros de comprimento. Há entre doze e 25 cabos de aço em cada estai. Juntos, os estais pesam em torno de 462 mil kg. Eles são encapados por um tubo amarelo de polietileno de elevada resistência mecânica, tolerantes a ação de raios ultravioleta, com a função de proteger o aço contra corrosão.

Iluminação

A ponte é iluminada por holofotes nas cores vermelho, azul e verde, que têm condição de projetar na estrutura variadas combinações cromáticas. A empresa holandesa Philips assina o sistema de iluminação da ponte.

Imagem de Amostra do You Tube Imagem de Amostra do You Tube

Nome: Lucila Motta Gomes
Função na empresa: Auxiliar Técnica – Operadora Visual Sop
Categoria: Obras incríveis

Mais notícias

13 Comentários para “Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira”

  1. Carol disse:

    Parabéns Lu, realmente a ponte estaiada é uma grande obra da engenharia. Principalmente por ser uma obra nacional e tão perto da gente.
    Ficou show!

  2. Taciana disse:

    Muito interessante o assunto!
    Parabéns!

  3. Fernando disse:

    Lu voce tem muito bom gosto e eu te admiro

  4. MARCELO AUGUSTO FIDELIS disse:

    Parabéns pela publicação Lucila!

    Abraços
    Marcelo Fidelis

  5. Ivan Furtado disse:

    Já votei, boa sorte…..

  6. antonio jesus secomandi disse:

    Nota 5,0. è interessante, é curioso, é informativo excepcional, pois o concreto pode ser dobrado, esticado, suspenso em vãos que da impressão que vai desabar. Essa menina escolheu muito bem a matéria para o concurso! Parabens.

  7. Cumpadi Washington disse:

    muito boa essa reportagem!!!! joga la no meio estaia em cima concreta embaixo!

  8. Carlos Tinico disse:

    Muito bom! isso é uma revolução da engenharia! marco da segunda guerra! ja vendi dog próximo a uma!

  9. Neilde Nogueira disse:

    Simplesmente fantástica,o mais lindo cartão postal da nossa cidade.SHOW!

  10. max Oliveira disse:

    Boa Noite eu gostaria muite de saber como faço para ter acesso a esta foto em alta definição desta ponte estaiada tirada noturna

  11. Um projeto audacioso,com duas pistas em curvas,como nunca visto em uma ponte estaiada.
    Colocando em pratica a Lei de LEONARDO da VINCI.
    ATT Marcuslanylas
    Dicente Engenharia Civil

  12. fellipe hartuiq koppe disse:

    Estou fazendo trabalho sobre a ponte, queria saber a quantidade de ferro e suas medidas

    • admin disse:

      Olá Felipe, obrigado por visitar nosso site. Este post sobre a Ponte é parte de nossa seção sobre curiosidades da engenharia, apenas a titulo de compartilhar informação. Não tivemos participação nesta obra portanto não temos como lhe fornecer estas informações.

      atenciosamente,

      ISI Engenharia

Deixe um comentário

Este é um conteúdo do Concurso Cultural Sugestão Premiada.

Leia, VOTE e comente!

Caso alguma postagem desta seção estiver violando direitos autorais clique aqui